Geral

  • Hair, um espetáculo de vozes, interpretações e performances

    Publicado em: 01/11/2017 17:16
    Hair, um espetáculo de vozes, interpretações e performances
    Pela primeira vez em 45 anos, o clássico Hair ganhará uma montagem capixaba. “Hair – Um Sonho de Liberdade” é um espetáculo de vozes, interpretações e performances, que será apresentado nos dias 07, 12 e 16 de novembro, no Centro Cultural Sesc Glória, em Vitória. Montagem tem direção geral assinada por Elaine Rowena e Angelo Jantorno.

    Há 10 meses, o musical vem sendo preparado para levar a plateia a se encantar diante do que estará em cena. São 18 solistas, 32 pessoas no coro, 16 bailarinos e quatro pessoas de circo.

    A Era é de Aquario e a história gira em torno de um rapaz que é recrutado para guerra, conhece hippies, que lhe apresentam conceitos nada convencionais sobre comportamento e sociedade. “O musical ‘Hair’ é a favor da vida, da liberdade sexual, da diversidade, da paz, do amor. Um basta a preconceitos, racismo, intolerâncias, hipocrisia, falta de noção, ignorância”, diz Elaine Rowena.

    Além de dirigirem o espetáculo, Elaine Rowena e Angelo Jantorno também subirão ao palco não somente para cantar. Ela atuará como a jovem Sheila Franklin, além de uma mãe hilária. Ele viverá o rapaz Claude Hooper Bukowski. Formando o trio principal como Berger, o cantor André Prando, hoje um destaque nacional.

    O “Hair” capixaba é baseado na montagem original do musical feito para o teatro, em Nova Iorque, em 1967, por James Rado e Gerome Ragni, também autores das letras das músicas criadas por Galt MacDermot. E referência à adaptação cinematográfica de Milos Forman, de 1979.

    Os diálogos são em português, mas as músicas apresentadas em inglês. “Não dá para cantar versões de ‘Aquarius’, ‘Sodomy’, ‘I Got Life’, ‘Manchester’ e tantas outras que constam no repertório”, afirmou Elaine. Nada é dublado, pois o elenco contou com assessoria de um mestre em Língua Inglesa. A banda que estará em cena é composta por Vandaluz Júnior (piano e teclado), Júnior Toniato (bateria), Caio Matos (contrabaixo elétrico) e Ique Pellizer (guitarra).

    Sobre a formação de elenco tão afinado, são muitas as histórias de caça-talentos. Uma delas foi a descoberta de Jess Dionisio, que solta o vozeirão em “Aquarius”. “Eu a encontrei em um karaokê em um bar na Ilha de Santa Maria. Quando vi e ouvi, pensei na hora: É ela. Fiz o convite. Ela disse que não tinha condições, veja só?” (Risos).

    A montagem é da Faculdade de Música do Espírito Santo (Fames), através do Grupo Vocal Fames, um grupo modular, composto de alunos e professores da Fames e pessoas da comunidade.

    História
    “Hair” é um produto da contracultura hippie e da revolução sexual dos anos 60. A profanação de valores embutida no musical, sua descrição do uso de drogas ilegais, tratamento da sexualidade, irreverência pela bandeira nacional e uma cena de nu explícito causaram enorme controvérsia.

    Elevou o mundo dos musicais a novos parâmetros, criando o rock-musical, usando a integração racial para compor o elenco e convidando a plateia a interagir com o espetáculo, subindo ao palco na cena final. Conta a história de um grupo de hippies cabeludos politicamente ativos da “Era de Aquário”, que levam uma vida boêmia em Nova Iorque e lutam contra o alistamento militar para o Vietnã. Claude, seu bom amigo Berger, sua amiga Sheila e outros amigos hippies tentam equilibrar suas jovens vidas, amores e sexo livre com a rebelião pessoal contra seus pais e a sociedade conservadora.

    Em última análise, Claude precisa decidir entre rasgar seu cartão de alistamento como seus amigos fizeram ou sucumbir à pressão dos pais e servir no Vietnã, comprometendo seus princípios pacifistas e arriscando sua vida.

    Após estrear off-Broadway em outubro de 1967 no The Public Theater – onde ficou por 45 dias – e fazer algumas apresentações numa discoteca no centro de Manhattan, a peça estreou na Broadway em 29 de abril de 1968 para uma carreira que duraria por 1.750 apresentações.

    O que é “Era de Aquário”?
    A “Era de Aquário”, segundo a astrologia, é a atual “era cósmica”, regida por esse signo e que favorece a comunicação rápida, a busca pelo futuro e a oposição ao autoritarismo. Nos anos 60, se popularizou a crença de que essa “nova era” traria uma nova fase para a humanidade.

    Para os que acreditam na influência zodiacal na vida humana, a “Era de Aquário” já começou.

    Ficha técnica
    Elenco: Angelo Jantorno como Claude Hooper Bukowski | André Prando como George Berger | Elaine Rowena como Sheila Franklin | Karla Skarine (Jeanne) | Alec Aguiar (Simon) | Jess Dionisio (Dionne) | Rony Ribeiro (Hud Johnson) | Everllynn Cardoso (Yummi) | Derick Silveira (Duque) | Cintia Tavares (Karen) | Marcos Luppi (Mark) | Claudia Zanetti (Gaia) | Scarllet Alves (Lucy) | Marcos Salles (Sgt. Fidelis/Jeff) | Rita Augusto (Rose) | Gina Denise (Stella) | Fernanda Santana (Lenna) | Eduardo Portela (Júpiter) | Daria Obraztsova (Ana) | LC Marks (Lui/Muppet) | Jeniffer Ayres (Helena) | Rodrigo Lacerda (Woof/Margareth) | Lilo Vizion (Índigo) | Rodrigo Barcelos (Javier) | Amanda Paes (Hanna) | Jessika Couto (Crissy) | DiMorais (Jhon) | Mfive (Jo-Jo) | Daniel Berbeth (Profeta Yod) - Participação especial: Patrícia Eugênio (Krishna)
    Balé: Louis Maria/Giovanna Fontana/Grasie Fink/Wanessa Moreira/Azinza Binah/Letícia Resende/Luh Rodrigues/Bee Fire/Pablo Sheko/Gabriel Paolucio/Dhodho Lucas/Pedro Lucas/PH Silva/Izak Rodrigues/Wylberth Augusto/Jadson Affonso/Paola Melo/Christila Eduarda
    Circo: Mariana Mathias/ Ohana Waichert / Gabriele Oliveira/Wesley Fernandes/Vitor Mozine
    Banda: Vandaluz Junior (Piano e Teclados), Júnior Toniato (Bateria), Caio Matos (Contrabaixo Elétrico) e Ique Pellizzer (Guitarra)
    Coordenação do Grupo Vocal Fames: Elaine Rowena
    Direção Geral: Elaine Rowena e Angelo Jantorno
    Direção Musical e Arranjos: Vandaluz Junior
    Regência: Maestro Claudio Modesto
    Assistente de Regência: Rony Ribeiro
    Preparação Vocal: Elaine Rowena e Rony Ribeiro
    Coordenação de Naipe Feminino: Fernanda Santana
    Coordenação de Naipe Masculino: Angelo Jantorno
    Coreografias: Lalau Martins
    Danças Orientais: Bianca Campagnolli
    Assessoria de Língua Inglesa: Rodrigo Lacerda
    Figurino: Regina Schimitt e Luara Zucolotto
    Iluminação: Wlad Castiglione
    Sonoplastia: Eliomar Viturino e Denis Feijão
    Design Gráfico: Karla Skarine e Mayra Belém
    Assessoria de Comunicação: Márcia Almeida
    Encenação: Grupo Vocal Fames
     
    Serviço
    “Hair – Um Sonho de Liberdade”
    Datas: 07, 12 e 16 de novembro, às 20 h
    Local: Centro Cultural Sesc Glória (Av. Jerônimo Monteiro, 428, Centro, Vitória)
    Ingressos: R$ 4,00 (inteira) e R$ 2,00 (meia-entrada)
    Pontos de vendas: Bilheteria do Centro Cultural Sesc Glória
    Classificação: 14 anos

    Compartilhar