Musica na maturidade

FACULDADE DE MÚSICA “MAURICIO DE OLIVEIRA”

PROJETO DE EXTENSÃO - MÚSICA NA MATURIDADE

UM PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO COM O USO DA
FLAUTA DOCE


O projeto teve inicio em 2010 no segundo semestre com a participação de aproximadamente de 20 alunos. Sob a direção da Prof. Letir Silva.

Coordenadoras e Professoras: 

Letir Silva de Souza – Prática de Conjunto e Flauta Doce
Raquel Bianca Castro de Sousa – Percepção Musical e Coral.
Professores e Monitores:
William Lizard – Pianista Acompanhador
Evanil Ribeiro – Violonista 
Obs.: Os monitores variam a cada ano letivo.
Carga horária semanal e estrutura curricular: quatro horas de aula para cada turma, divididos em quatro níveis diferentes. A estrutura curricular é composta das seguintes disciplinas: Percepção Musical, Flauta Doce, Coral e Prática de Conjunto.
Idade mínima do aluno: 60 anos.  
Local de realização do Curso: Salas 205, 210, Sala de Coral e Sala de Concerto “Alceu Camargo”.
Data de inscrição para os iniciantes: segunda quinzena de fevereiro.
Número de vagas: varia a cada ano.
Início das atividades: março   Término: novembro
Alunos matriculados em 2018: 100 participantes
Estrutura Curricular, Horários e Salas de Aulas 


Segunda-feira


 

Horário

 

 

Sala de Concerto

 

 

Sala 205 e 210

 

8h

 

 

Flauta Doce 1

 

Percepção Musical 3A e 3B

 

9h

 

Coral

 

 

 

 

10h

 

Prática de Conjunto

 

 

 

11h

 

Flauta Doce 3

 

Percepção Musical 1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Quarta-feira

 

Horário

 

 

Sala de Coral

 

Sala 205

 

Sala 210

 

7h30min

 

 

Flauta Doce 4

 

 

Percepção 2A

 

Percepção 2B

 

8h30min

 

 

Flauta Doce 2

 

Percepção 4

 

 

 

 

 

 

 






Obs.: As aulas de Coral e Prática de Conjunto são disponibilizadas para todos os alunos matriculados.
JUSTIFICATIVA
Sabe-se que o número de idosos tem crescido significativamente a cada ano em nosso país. Fato que demonstra a urgência de políticas públicas educacionais voltadas às necessidades específicas desses cidadãos, promovendo, assim, melhor qualidade de vida. Nesse contexto, a música atua preponderantemente na sociedade. De acordo com Gainza (1988, p. 101) “o objetivo específico da educação musical é musicalizar, ou seja, tornar um indivíduo sensível e receptivo ao fenômeno sonoro [...]”, para tanto é preciso
[...] compreender que a educação musical não é apenas uma atividade destinada a divertir e entreter as pessoas, tampouco um conjunto de técnicas, métodos e atividades com o propósito de desenvolver habilidades e criar competências, embora essa seja uma parte importante de sua tarefa. O mais significativo na educação musical é que ela pode ser o espaço de inserção da arte na vida do ser humano, dando-lhe possibilidade de atingir outras dimensões de si mesmo e de ampliar e aprofundar seus modos de relação consigo próprio, com o outro e com o mundo. Essa é a real função da arte e deveria estar na base de toda proposta de educação musical (FONTERRADA, 2008, p. 117).

Soares discursa de maneira bem enfática o tema “ensaio de coral”, pois, acredita que essa dinâmica coletiva é essencial para o desenvolvimento do grupo. A atitude individual de cada participante faz com que o conjunto de regras do “jogo” funcione muito bem.
Ciente dessa realidade, o presente projeto de extensão propõe-se aplicar uma metodologia diferenciada, construída a partir da vivencia musical dos participantes, por meio do aprendizado da flauta doce, do canto em grupo e da expressão corporal. Pesquisas na área da musicoterapia têm indicado que a música é capaz de aperfeiçoar diversas habilidades sensório-motor (aprimoramento da coordenação motora fina – a dos dedos das mãos), cognitivas (aumento da capacidade de concentração e de memorização), sociais (interação e comunicação com o grupo) e emocionais. Segundo Marcelo Caíres, gerontólogo e educador musical, “os níveis de demência cognitiva em idosos é estabilizado e, em muitos dos casos, até revertido do estado constatado a partir dos seis meses de atividades de prática ou aprendizagem musical” (FOLHA DE LONDRINA, 08/10/09). Desse modo, considera-se que a música na terceira idade possibilita um vasto campo investigativo para o desenvolvimento de pesquisas na área da música, afinal, ser idoso não significa que a capacidade de aprendizagem não existe mais. O presente projeto não irá apenas realizar uma atividade lúdica ou um mero “encontro da terceira idade”, mas propõe-se coletar dados empíricos (através do registro em vídeo) para ser analisado posteriormente e assim, resultar em trabalhos de cunho científico e com dados mensuráveis e de contribuição à área específica.
  Fonterrada afirma que:
O canto coletivo tem estado presente nas manifestações musicais das mais diversas culturas, desde tempos imemoriais até os dias de hoje. Recurso preferido por Kodály em seu método de musicalização é um excelente meio para a prática musical coletiva, até mesmo economicamente, pois cada criança traz em si seu próprio instrumento – a voz. Além da econômica há, certamente, outras vantagens em seu emprego. (2008, p. 200)

Objetivos:
Geral: Aplicar proposta metodológica de Educação Musical que possa desenvolver habilidades de sensibilização e alfabetização da linguagem sonora com indivíduos da terceira idade por meio da flauta doce.
Específicos:
Realizar um trabalho de desenvolvimento da percepção auditiva utilizando a flauta doce;
Estimular a memória através de exercícios de imitação rítmica e melódica;
Proporcionar maior consciência corporal por meio de exercícios de respiração, relaxamento, lateralidade, alongamento e aquecimento corporal;
Trabalhar a coordenação motora por meio da flauta doce, danças e jogos sonoros;
Trabalhar conceitos de análise e apreciação musical, como dinâmica, fraseado, estilo, andamentos, etc., partindo da vivência musical dos participantes.

 Meta alcançada em 2012, 2013 e 2014
Aprimorar alguns elementos musicais para obter realização de recitais com um número de peças que fosse confortável para os alunos. Apresentação no Salão de Eventos da Primeira Igreja Batista, Auditório da Igreja em Vitória e na Sala de Concerto “Alceu Camargo”.

Meta alcançada em 2015
Realizar um Concerto de Gala no Theatro Carlos Gomes, Vitória-ES com um repertório bem mais elaborado e com participação de músicos convidados. 
Meta alcançada em 2016
A cada novo ano, novos desafios se apresentam e, nos inúmeros compromissos do dia a dia, vamos tentando realizar nossos sonhos. No ano de 2016 sonhamos com a gravação de um clipe que retratasses o perfil do grupo Música na Maturidade. Com um trabalho em equipe da Fames e com a colaboração da TVE e do estúdio da UFES tornamos esse sonho realidade. Apresentação no Theatro Carlos Gomes, Vitória-ES.
Entendemos que todas as flores do futuro estão nas sementes de hoje e, juntos, somos as “SEMENTES DO AMANHÔ, título do Concerto. 

Meta alcançada em 2017
Sonhar é mais do que desejar. Sonhar é desejar e correr atrás para realizar. Foi exatamente isso que aconteceu quando sonhamos com o musical “É PRECISO SABER VIVER”. Quando começamos a esboçar algumas ideias do espetáculo, imaginamos músicas que fizessem parte do cotidiano dos participantes, seja remetendo ao passado, seja fortalecendo o momento atual. 
Queríamos, contudo, que fosse num formato de musical. Assim, tínhamos que obrigatoriamente deixar as partituras de lado e decorar o texto cantado e tocado.Não foi uma jornada fácil, pois tivemos que lutar contra resistência como: “não consigo decorar; já tenho muita idade para isso; isso não vai dar certo; e ainda tenho que representar”? Ultrapassada essa etapa, estamos aqui para dizer que o musical “É preciso saber viver” é fruto de muito trabalho, realizado por um grupo de pessoas extremamente queridas e sábias, e mais: que adoram desafios. Estamos gratas por perceber que na vida, apesar das pedras no caminho, apesar das flores que tem espinhos, há sempre a opção de escolher o melhor. Mais do que ninguém, este grupo pode se orgulhar e dizer: “É preciso saber viver”, podemos ensiná-lo? Apresentação no Teatro SESC Glória, Vitória-ES.

Meta a ser alcançada em 2018 
Musical a ser realizado no Teatro da UFES e Teatro SESC Glória e em shoppings da Grande Vitória com o formato de Flash Mob.


CORAL DA MATURIDADE DA FAMES

O Coral da Maturidade da Faculdade de Música do Espírito Santo “Maurício de Oliveira”, é composto pelos participantes do Projeto de Extensão “Música na Maturidade” dedicado a alunos com faixa etária acima de 60 anos e essa prática coral atende a estrutura curricular do projeto. Atualmente conta com 100 vozes. Sob a coordenação da professora Letir Silva, regência da professora Raquel Bianca Castro de Sousa, e dos professores: o pianista acompanhador William Lizard e do violonista Evanil Ribeiro. O grupo musical apresenta um repertório bem eclético e faz parte do projeto de governo