Festival de Inverno 2019 - Oficina de Viola Caipira- Eduardo Ramos

Eduardo Ramos de Lima é Especialista em Arte na Educação Cesap, onde defendeu a Monografia: O ESTABELECIMENTO E DECLÍNIO DO TONALISMO: O cravo bem temperado, de J. B. Bach e Tristão e Isolda, de Richard Wagner. Licenciado em Música pela UFES. Leciona desde 1999 em várias escolas particulares ou Projetos. É professor de Harmonia, Análise, Composição eTécnicas de Arranjo no curso de Licenciatura da FAMES, leciona Baixo Elétrico, Violão Erudito, Música de Câmara nos Bacharelados da FAMES e atua como Professor de Baixo Elétrico e Ukulele no Curso de Formação Musical CFM da FAMES. Professor de Viola Caipira nos XXV Festival Internacional de Domingos Martins ES. Atua como Instrutor e regente da Orquestra de violões nas escolas estaduais do ES. Professor de Violão do SESC Glória.

Como pesquisador, atuou no Projeto de pesquisa Música e Linguagem, de 2007 a 2009. Descrição: Pensar a música como linguagem e fundamento do pensamento poético, estabelecendo o horizonte ontológico da música e da linguagem; Renovar o sentido da escuta como auscultar poético-filosófico; Estudar o percurso de formação da música na cultura brasileira a partir da renovação dos conceitos de música, linguagem e escuta. Desenvolvi junto ao professor Drº. Celso Garcia de Araujo Ramalho (UFES) e ao professor Herialdo Marcos Rosário Plotegher (SEGER) o projeto Serrear das Cordas. Tal projeto foi um registro de produção musical e crítica a partir da cultura serrana. Pretendeu-se ao investigar as raízes artísticas da música proveniente da Serra, alcançar uma compreensão mais profunda da cultura popular e dos processos sociais da criação que engendram uma possibilidade poética originária. Na atitude reflexiva e crítica buscou-se encontrar um caminho para elaboração de textos que contemplasse o elemento reconhecidamente serrano e brasileiro construindo assim uma identidade a partir das diferenças presentes na própria produção cultural. Neste projeto, foi registrada, através de gravações in loco, a produção musical típica da Serra que se desdobrou na elaboração de arranjos originais e composições instrumentais que incorporaram a musicalidade serrana e posteriormente integrou um produto fonográfico gravado em estúdio com a sonoridade dos instrumentos de cordas (violão, viola caipira, cavaco, bandolim). Além do registro fonográfico, foram realizados registros escritos em forma de artigos críticos sobre o pensamento desta mesma produção musical característica do município da Serra que acompanharam o encarte do fonograma. O projeto foi aprovado pela lei de incentivo à cultura e à arte da Prefeitura Municipal de Serra Lei Chico Prego e foi financiado pelo BANESTES. Atua no Projeto Orquestra de Violões nas escolas estaduais do ES. O Projeto Orquestra de Violões nas Escolas é fruto da parceria entre a Secretaria de Estado da Educação SEDU e a Faculdade de Música do Espírito Santo FAMES. Iniciado em 2012, o projeto atua em 51 escolas de 42 cidades, abrangendo todo o estado. Somente no ano de 2017 foram 2.034 jovens atendidos, em uma média mensal de 1746 jovens. idades do projeto.

Como músico (baixista), gravou o álbun: Minha Casa (2016) com canções autorais escritas pelo músico Marcos Côco.

Como músico (violonista), Gravou o albúm: Serrear das Cordas (2008) com músicas autorais para instrumentos de cordas.